BC surpreende e eleva juros para 11,25% ao ano em decisão dividida

quarta-feira, 29 de outubro de 2014 21:31 BRST
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA (Reuters) - Em decisão surpreendente, o Banco Central decidiu elevar os juros nesta quarta-feira, para 11,25 por cento, alegando que aumentaram os riscos para a inflação desde a última reunião em setembro, em um movimento visto por agentes do mercado como sinal de mudança na condução da política monetária.

A decisão, que não contou com o apoio de todos os membros da diretoria do BC, vem três dias depois da reeleição da presidente Dilma Rousseff para um segundo mandato, justamente em um momento em que os agentes econômicos, descontentes com os rumos da economia, buscam sinais de mudança na condução da política econômica.

"É uma surpresa para o mercado, mas é surpresa boa. É sinal de que é decisão para restabelecer a confiança no compromisso com a redução da inflação ao longo do tempo", disse o economista-chefe da INVX Global Partners, Eduardo Velho.

Em comunicado, o BC disse que a "intensificação dos ajustes de preços relativos na economia tornou o balanço de riscos para a inflação menos favorável".

"À vista disso, o Comitê considerou oportuno ajustar as condições monetárias de modo a garantir, a um custo menor, a prevalência de um cenário mais benigno para a inflação em 2015 e

2016", disse o BC em comunicado.

Cinco diretores, inclusive o presidente do BC, Alexandre Tombini, votaram pela elevação de 0,25 ponto percentual, enquanto três votaram pela manutenção da taxa de juros em 11 por cento.

Pesquisa da Reuters mostrou que todos os 43 analistas consultados esperavam a manutenção da Selic.   Continuação...

 
Pedestre passa pela sede do Banco Central, em Brasília, em janeiro. 15/01/2014 REUTERS/Ueslei Marcelino