Totvs tem alta no lucro do 3º trimestre, mas retira projeções

quinta-feira, 30 de outubro de 2014 08:01 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A fabricante de softwares Totvs teve alta no lucro líquido do terceiro trimestre graças a despesas menores, mas retirou suas projeções para margem Ebitda e receita líquida internacional devido a cenário econômico adverso e transição para novo modelo comercial.

A empresa teve lucro líquido de 68,1 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de 20,7 por cento na comparação anual. O resultado foi positivamente influenciado pelo menor crescimento das despesas com depreciação e amortização, que somaram 21,4 milhões de reais, alta de 7,6 por cento.

A receita líquida atingiu 445,6 milhões de reais no período de julho a setembro, avanço de 8,6 por cento sobre o terceiro trimestre de 2013. Apesar da alta, as receitas foram afetadas pelo cenário econômico adverso, que atingiu negativamente as vendas de licenças de softwares, especialmente para empresas de maior porte, disse a empresa.

"Já as vendas a empresas de médio e pequeno porte reaceleraram, com consequência da estratégia de ampliação das vendas de subscrição de Software como Serviço (SaaS)", disse a companhia em seu balanço de resultados.

A empresa passa por um processo de transição de modelo comercial, obtendo maior crescimento das receitas de serviços e manutenção na comparação com as receitas com taxas de licenciamento de software, principalmente entre pequenas e médias empresas.

Por conta dessa transição, o crescimento da receita líquida e do Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) será afetado negativamente, disse a companhia, já que esse modelo tende a afetar a margem no curto prazo e beneficiá-la no longo prazo.

A Totvs retirou nesta quarta-feira suas projeções de crescimento da margem Ebitda -- entre 27 e 30 por cento para exercícios encerrados entre 2013 e 2016, além das projeções de despesas com pesquisa e desenvolvimento no patamar de 12 por cento da receita líquida consolidada em 2016.

Foi retirada também a projeção de receita líquida das operações internacionais entre 3 e 5 por cento da receita líquida consolidada em 2016 e o ponto de equilíbrio das operações internacionais, correspondente a Ebitda igual a zero, no segundo semestre de 2014.

"Quando estabelecemos as projeções (em 2009), imaginávamos um contexto diferente para a companhia. Ao longo do tempo, por iniciativa nossa e por demanda de mercado, vimos uma desaceleração das vendas de licença, mas aceleração nas vendas de outras modalidades de pagamentos mensais (recorrentes)", disse Gilsomar Maia, diretor de Relações com Investidores da Totvs.   Continuação...