Lucro da CME sobe 22,5% impulsionado por volumes maiores negociados

quinta-feira, 30 de outubro de 2014 10:35 BRST
 

(Reuters) - A CME, operadora do maior mercado de futuros do mundo, teve alta de 22,5 por cento no lucro trimestral auxiliada por fortes volumes de negociação.

A companhia se beneficiou da recente volatilidade do mercado e da decisão do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, de reduzir seu programa de compra de títulos, levando investidores a se voltarem aos futuros para compensar o risco.

A CME disse que o giro diário médio subiu 12 por cento, para 13,5 milhões de contratos por dia, no terceiro trimestre.

A companhia teve volume recorde de cerca de 39,6 milhões de contratos num único dia em 16 de outubro. O orecorde anterior foi de 26,9 milhões de contratos em 29 de maio de 2013, em meio a crescentes receios sobre o estado da economia global.

A recuperação no giro veio depois que a CME disse que cortará custos devido aos volumes fracos no segundo trimestre.

Os custos cresceram 5,7 por cento, a 332 milhões de dólares no terceiro trimestre. A companhia disse no começo deste mês que planeja cortar 5 por cento de seu quadro mundial de funcionários para reduzir custos.

A CME disse também esperar que as despesas operacionais ajustadas, para o ano inteiro de 2014, alcancem cerca de 1,3 bilhão de dólares, o piso da faixa projetada anteriormente.

O lucro líquido atribuível à CME no terceiro trimestre subiu para 290 milhões de dólares, ou 0,86 dólar por ação, ante 236,7 milhões de dólares, ou 0,71 dólar por papel, um ano antes.

Na base ajustada, a companhia teve lucro de 0,84 dólar por ação, superando de leve a estimativa média entre analistas de 0,83 dólar, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

A receita cresceu perto de 6,7 por cento para 762,4 milhões de dólares, pouco abaixo das expectativas de analistas de 765,9 milhões de dólares.

(Por Avik Das e Tom Polansek in Chicago)