Ações europeias fecham em alta, mas tom mais duro do Fed limita ganhos

quinta-feira, 30 de outubro de 2014 16:33 BRST
 

Por Blaise Robinson

PARIS (Reuters) - O principal índice acionário europeu fechou em alta nesta quinta-feira, com resultados corporativos e o crescimento forte da economia dos Estados Unidos se sobrepondo ao tom mais duro do Federal Reserve.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, avançou 0,62 por cento, a 1.327 pontos. O índice subiu cerca de 9 por cento desde que atingiu o menor nível em 13 meses, em 16 de outubro.

Os balanços corporativos ajudaram a alta, com as ações da Renault subindo 2,9 por cento depois de a montadora divulgar aumento da receita no terceiro trimestre e melhorar sua projeção de crescimento do mercado automotivo europeu para o ano.

As ações da fabricante de chips holandesa ASM International subiram 13 por cento depois de divulgar fortes encomendas e seu resultado trimestral superar as projeções de analistas, em um forte contraste com resultados fracos recentes e projeções decepcionantes no setor de tecnologia.

Os papéis da Alcatel-Lucent subiram 16 por cento depois que a fabricante de equipamento de telefonia reduziu seus custos, resultando em melhora acima do esperado da margem de lucro bruto, a 34 por cento.

Até agora, nesta temporada de balanços, 36 por cento das empresas divulgaram seus resultados. Dessas, 67 por cento atingiram ou superaram as projeções, de acordo com dados da Thomson Reuters StarMine.

Como esperado, o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, terminou o seu programa de estímulo, mas o tom relativamente 'hawkish' do comunicado levou investidores a repensar o consenso de que a primeira alta de juros nos EUA seria no fim de 2015.

No entanto, o crescimento acima do esperado da economia dos EUA ajudou a minimizar preocupações sobre a taxa de juros. Dados mostraram nesta quinta-feira que o PIB dos EUA cresceu a uma taxa anual de 3,5 por cento.   Continuação...