Com rali no final, Ibovespa sobe 4,38% e fecha outubro no azul

sexta-feira, 31 de outubro de 2014 18:19 BRST
 

Por Paula Laier e Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa teve um rali na última hora, acelerando ganhos já fortes do pregão desta sexta-feira, o que levou seu principal índice a reverter perdas acumuladas da semana e do mês, sob influência do mercado externo e do noticiário corporativo doméstico positivo.

O Ibovespa fechou com alta de 4,38 por cento, a 54.628 pontos. O volume financeiro somou 8,37 bilhões de reais.

A reunião do Conselho de Administração da Petrobras esteve no radar, em meio a especulações sobre um aguardado reajuste nos preços dos combustíveis, assim como dados fiscais negativos do setor público.

Do exterior, a surpreendente decisão do Banco do Japão de ampliar as compras de títulos públicos repercutiu positivamente nas praças financeiras globais.

Na Bovespa, o setor de telecomunicações foi um dos destaques na pauta corporativa, após o jornal Folha de S.Paulo publicar que Claro, Vivo e Oi fecharam acordo para oferta de compra da TIM Participações. Oi e TIM foram as líderes de alta do índice. Vivo também subiu forte.

Duas fontes confirmaram à Reuters o acordo entre as operadoras. No país, a Telefônica Brasil, que utiliza a marca Vivo, esperou o fim do pregão para dizer ao mercado que desconhece o assunto e que não está envolvida em discussões para uma oferta pela TIM. Horas antes, a TIM informou o mesmo.

Balanços de empresas como PDG Realty, Suzano e BRF, ajudaram a impulsionar as ações.

Na ponta negativa, as units do Santander Brasil despencaram após a oferta pública voluntária de permuta de units por recibos de ações do Banco Santander, na véspera, com a previsão de que as units que não foram trocadas tendem a perder liquidez e oscilar ao sabor dos fundamentos.   Continuação...