Secovi-SP vê retomada no mercado de imóveis em São Paulo, mas corta projeções para 2014

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 09:02 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - A queda na vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo diminuiu o ritmo em setembro, divulgou nesta segunda-feira a entidade que representa o setor, Secovi-SP, apontando ver sinais de que a pior fase do mercado imobiliário já passou, mas ainda assim cortando previsões para o desempenho no ano.

No último mês, foram comercializadas 2.787 unidades na capital paulista, recuo de 5,6 por cento sobre setembro do ano passado, mas crescimento de 55,1 por cento ante agosto.

No acumulado do ano, foram vendidas 14.374 unidades residenciais novas, declínio de 43,8 por cento ante igual etapa de 2013.

Segundo o Secovi-SP, o mercado neste ano foi negativamente influenciado pela Copa do Mundo, responsável por fazer de julho o pior mês para o setor em número de unidades comercializadas.

"Passado esse período, verificou-se reação nas vendas nos dois meses seguintes, trazendo o mercado a patamares mais normais", afirmou em comunicado o economista-chefe da entidade, Celso Petrucci.

Em setembro, os lançamentos residenciais, por sua vez, chegaram a 4.018 unidades, de acordo com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), alta de 35,6 por cento sobre um ano antes e de 90 por cento sobre agosto.

Nos nove primeiros meses do ano, os lançamentos caíram 15,4 por cento, a 18.367 unidades.

Segundo o Secovi-SP, o terceiro trimestre representou 37 por cento do total das unidades vendidas e 39 por cento dos lançamentos no ano, demonstrando retomada em relação aos trimestres anteriores.   Continuação...

 
Vista aérea da cidade de São Paulo. 18/06/2014. REUTERS/Maxim Shemetov