Daimler abre centro de P&D em Pequim para moldar Mercedes-Benz ao gosto chinês

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 11:50 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A Daimler abriu um centro de pesquisa e desenvolvimento em Pequim com a tarefa de moldar ainda mais sua marca Mercedes-Benz ao gosto de chineses ricos e acabar com a vantagem das vendas de Audi e BMW.

O movimento da montadora alemã demonstra um desejo de "penetrar mais profundamente na China, para fazer carros mais adequados para a China", disse o chefe da Daimler na China, Hubertus Troska, à Reuters.

O novo centro sinaliza compromisso com um mercado que Troska disse que irá se tornar o maior para a Mercedes-Benz em um ou dois anos. Com isso em mente, a montadora planeja aumentar o número de engenheiros da Mercedes-Benz e outros especialistas em Pequim para 500 até o final do próximo ano, ante 350.

"É um passo lógico para entender melhor o mercado e nos certificarmos que as exigências chinesas estão sendo devidamente consideradas no início do processo, quando desenvolvemos uma próxima geração de carros", afirmou Troska em uma entrevista na semana passada.

O centro de pesquisa e desenvolvimento se soma a uma série de iniciativas de Troska desde que se tornou chefe da empresa na China em 2012, incluindo a reestruturação de marketing e vendas e o aumento no número de concessionárias. Seu foco no gosto chinês deverá ajudar a Mercedes-Benz a ganhar tração no mercado de carros de luxo ante as rivais Audi, da Volkswagen, e BMW, disse ele.

A empresa de pesquisas automotivas LMC Automotive projeta que a Mercedes-Benz irá vender 291 mil veículos na China este ano, em comparação com 581 mil da líder Audi e 448 mil da BMW.

Troska disse que novos modelos como o utilitário esportivo compacto GLA devem ajudar a Mercedes-Benz a vender "significativamente mais do que 300 mil unidades no próximo ano". A LMC Automotive prevê vendas pela Mercedes-Benz de 386 mil veículos em 2015.

(Por Norihiko Shirouzu)