Déficit comercial brasileiro sobe a US$1,2 bi e tem pior outubro desde 1998

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 16:13 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - A balança comercial brasileira registrou déficit de 1,177 bilhão de dólares no mês passado, no pior resultado para meses de outubro desde 1998, puxado pela retração de exportação em todas as categorias de produtos, com forte recuo nos embarques de minério de ferro, soja, milho, aviões e automóveis.

O resultado veio melhor que o esperado pela mediana dos especialistas consultados pela Reuters, com projeção de déficit de 1,40 bilhão de dólares.

Em outubro do ano passado, a balança foi deficitária em 230 milhões de dólares, enquanto em setembro deste ano, o déficit foi de 939 milhões de dólares.

As exportações no mês passado caíram para 18,330 bilhões de dólares, recuo de 19,7 por cento em relação a igual mês do ano passado pela média diária e de 10,6 por cento ante setembro.

As importações recuaram 15,4 por cento frente a outubro de 2013, para 19,507 bilhões de dólares. Em relação a setembro, as aquisições feitas no exterior retrocederam 9,2 por cento. Os destaques foram as menores compras no exterior de combustíveis e lubrificantes, bens de consumo, bens de capital e matérias-primas.

No acumulado de janeiro a outubro, a balança comercial registra déficit 1,871 bilhão de dólares ante déficit de 1,990 bilhão de dólares em igual período de 2013. As exportações no período somam 191,965 bilhões de dólares, queda de 3,7 por cento ante igual período de 2013, enquanto as importações somam 193,836 bilhões de dólares, também em queda de 3,7 por cento.

A balança comercial vem sofrendo em 2014 com o recuo de preços de importantes commodities da pauta de exportação brasileira, como minério ferro e complexo soja, numa situação agravada pela dificuldade de venda no exterior dos produtos brasileiros manufaturados e com a Argentina, um importante parceiro comercial do país, reduzindo as compras de produtos brasileiros.

(Por Luciana Otoni)