Rnest recebe licença para operar com restrições; venda de diesel deve atrasar

segunda-feira, 3 de novembro de 2014 19:13 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Refinaria do Nordeste (Rnest), da Petrobras, em Pernambuco, recebeu nesta segunda-feira a licença ambiental para entrar em operação parcialmente, e a nova unidade provavelmente não entregará combustíveis antes do início do próximo ano, afirmou uma fonte do mercado à Reuters, sob a condição de anonimato.

A obtenção da licença foi confirmada pela agência estadual de meio ambiente de Pernambuco, por meio de seu departamento de imprensa, para processar 45 mil barris/dia, ou 39 por cento da capacidade do primeiro trem de refino. O órgão limitará a operação até que um equipamento de controle de poluição mostre-se em funcionamento, segundo documento obtido pela Reuters.

Entretanto, de acordo com a fonte do mercado, as distribuidoras ainda não foram informadas sobre a disponibilidade de volumes de combustíveis que irão ao mercado a partir da Rnest, o que deve atrasar as primeiras entregas da refinaria de Pernambuco.

"As distribuidoras têm até o terceiro dia útil de cada mês para fazer pedidos (de combustíveis) para o mês seguinte", disse a fonte, para quem os prazos estão muito apertados para que seja possível registrar pedidos para dezembro.

"Está muito em cima (da hora). Normalmente, ela (Petrobras) faria este comunicado um pouco antes", afirmou.

Procurada, a Petrobras não respondeu imediatamente sobre o assunto.

A Petrobras informou anteriormente que a produção da refinaria --envolvida em suspeitas de superfaturamento, com um custo estimado de quase 20 bilhões de dólares-- deve ser inaugurada este mês.

A fonte explicou ainda que há uma série de questões operacionais que precisam ser acertadas quando uma nova refinaria entra em operação.

As distribuidoras precisam se preparar para receber volumes de um novo ponto de fornecimento.   Continuação...