Rolls-Royce cortará 2,6 mil empregos; indica novo diretor financeiro

terça-feira, 4 de novembro de 2014 15:25 BRST
 

(Reuters) - A britânica Rolls-Royce substituiu o seu diretor financeiro e planeja cortar 2,6 mil empregos para economizar recursos, com o objetivo de retomar a confiança após dois alertas sobre o lucro em oito meses.

A segunda maior fabricante de motores de aeronaves disse que o programa de demissão, que deve ocorrer principalmente na divisão aeroespacial e levará 18 meses para ser concluído, foi elaborado para economizar cerca de 80 milhões de libras (128 milhões de dólares) por ano após a sua conclusão.

A Rolls-Royce, fundada em 1884 e que tem cerca de 55 mil funcionários no mundo todo, tradicionalmente tem margens menores que a líder de mercado General Electric, o que significa que pode ser solapada por sua rival.

"Estamos tomando determinadas ações de gerenciamento e acelerando nosso progresso em custos", disse o presidente-executivo John Rishton. "As medidas anunciadas hoje não serão as últimas, mas contribuirão para que a Rolls-Royce se torne uma companhia mais forte e mais lucrativa."

A maior parte dos empregos da área aeroespacial está na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos, e a necessidade de reduzir os custos ocorre enquanto o foco dos motores Trent se move da fase de desenvolvimento para a produção, que requer menos engenheiros.

O anúncio ocorre quase três semanas depois de a Rolls-Royce ter emitido um alerta sobre o lucro, dizendo que a deterioração das condições macroeconômicas significa que o lucro não deve subir no ano que vem como previsto, o que fez as ações da empresa caírem 16 por cento na ocasião.

O alerta sobre o lucro foi o segundo em oito meses e abriu o caminho para mais um ano de estagnação, após mais de uma década de forte crescimento.

(Por Kate Holton)