Chuvas despertam floradas e evitam morte de cafezais no Sul de Minas

quinta-feira, 6 de novembro de 2014 15:53 BRST
 

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - Floradas nos cafezais do Sul de Minas Gerais, região do Brasil que responde por uma safra do tamanho da colheita da Colômbia, estão ocorrendo com maior frequência e em maiores extensões na última semana, após chuvas que também ajudam a recuperar as lavouras depois de uma das secas mais severas da história, disseram representantes de cooperativas.

No entanto, as floradas, que normalmente nesta época seriam auspiciosas para a próxima safra, ocorrem agora em meio a dúvidas sobre o tamanho da produção do próximo ano, diante dos efeitos da devastadora e prolongada estiagem para os pés de café.

Além disso, em algumas áreas, as flores estão atrasadas ou ainda não apareceram devido à irregularidade das precipitações.

Esses fatores fazem com que os cafeicultores adotem cautela ao falar sobre o tamanho da próxima colheita no Brasil, maior produtor mundial, com muitos ressaltando que a umidade recente serviu mais para evitar a morte das plantas do que gerar alguma expectativa mais positiva para 2015.

"A florada pode até ter sido visualmente bonita, mas não quer dizer que vai ter grande produção. Foi uma florada intensa e bonita, porque saímos de uma seca. Agora, isso vai vingar? Tem condição de ter uma safra muito boa? Não", afirmou à Reuters o gerente de Desenvolvimento Técnico da Cooxupé, maior cooperativa do Brasil, Mário Ferraz.

Ele explicou que, com as lavouras "depauperadas" pelo déficit hídrico, que ainda é registrado na área de atuação da cooperativa, o ano de 2015 terá uma produção fraca, mesmo que as floradas se revertam em frutos.

Na temporada 2014, a Cooxupé registrou perdas superiores a 30 por cento em sua área de atuação.

A colheita de café do Sul de Minas, que inclui o centro-oeste do Estado, foi estimada em 10,7 milhões de sacas em 2014, segundo a última previsão do governo brasileiro, queda de 20 por cento ante 2013.   Continuação...