Austrália deve assinar acordo para exportar gado vivo para China

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 11:51 BRST
 

SYDNEY (Reuters) - A Austrália exportará até 1 milhão de cabeças de gado por ano para a China, equivalentes a cerca de 850 milhões de dólares norte-americanos, disseram autoridades australianas nesta sexta-feira, citando um acordo aguardado há tempos que deverá ser assinado em breve.

O ministro da Agricultura da Austrália, Barnaby Joyce, disse que as negociações alcançaram um acordo, depois de uma década de idas e vindas, e que os dois países estavam muito perto de fazer um anúncio conjunto.

As negociações mais recentes para embarque de gado vivo da Austrália para a China começaram em fevereiro. O ministro do Comércio da Austrália está atualmente na China, para a esperada assinatura do acordo.

"Trata-se de 1 milhão de animais, equivalentes a 1 bilhão de dólares australianos. No entanto, a tinta ainda não está seca no contrato. É um grande marco", disse o ministro-chefe de gabinete Christopher Pyne, em uma entrevista a um canal de TV nesta sexta.

A China é o principal parceiro comercial da Austrália.

"O setor da pecuária do norte da Austrália é muito dependente de gado vivo e problema é que ele fica muito atrelado ao mercado da Indonésia", o que torna os investimentos muito mais arriscados, disse o economista sênior do ANZ, Paul Deane

As exportações de gado vivo da Austrália para a Indonésia entraram em colapso em 2011 depois que gravações mostraram animais sendo maltratados em abatedouros indonésios.

Apesar de crescente demanda por carne, limitações de área para pastagem, de acesso à água e à ração impedem que o rebanho da China cresça. Atualmente, há inúmeros confinamentos e frigoríficos vazios no país.

A China já importa grandes quantidades de carne vermelha da Austrália, com negócios que chegaram a 785 milhões de dólares australianos em 2013/15, segundo dados do governo australiano.

(Por Lincoln Feast e James Regan)