Dólar fecha quase estável ante real, mas avança na semana

sexta-feira, 7 de novembro de 2014 17:18 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou quase estável ante o real nesta sexta-feira, mas marcou mais uma alta semanal devido a persistentes incertezas sobre a política econômica do segundo mandato de Dilma Rousseff.

A moeda norte-americana chegou a encostar em 2,59 reais na máxima da sessão mas terminou o dia com leve alta de 0,11 por cento, a 2,5634 reais na venda, pois dados piores do que o esperado sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos limitaram o avanço da divisa.

Na semana, a alta foi de 3,4 por cento. O dólar subiu durante oito das últimas nove semanas, período em que acumulou avanço de quase 15 por cento. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro nesta sessão ficou em 1,2 bilhão de dólares.

"O mercado vai continuar se protegendo no dólar enquanto não tivermos mais detalhes sobre o futuro", disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

A principal dúvida dos investidores é sobre o futuro da política fiscal brasileira, criticada por ser excessivamente expansionista e pouco transparente.

Um sinal importante sobre a disposição do governo de cortar gastos virá com a escolha do novo ministro da Fazenda. Nesta semana, no entanto, Dilma afirmou que só nomeará o sucessor de Guido Mantega após a reunião do G20, que ocorre em 15 e 16 de novembro.

"A situação está tão incerta agora que, quando não tem notícias que poderiam mexer com o mercado, o dólar sobe", disse o superintendente de câmbio da corretora TOV, Reginaldo Siaca.

O clima de indefinição chegou a impulsionar o dólar a 2,5899 reais na máxima da sessão, alta de mais de 1 por cento. Mas a moeda norte-americana reduziu a alta após dados mostrarem que os EUA criaram menos postos de trabalho do que o esperado no mês passado.   Continuação...