Cade aprova fusão das cimenteiras Holcim e Lafarge com restrições

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 11:54 BRST
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou nesta quarta-feira, com restrições previstas em acordo, a fusão das cimenteiras europeias Holcim e Lafarge, que criará o terceiro maior grupo do setor no Brasil.

Entre as restrições acertadas entre as empresas e o órgão antitruste está a venda de fábricas de cimento e concreto no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. O anúncio da fusão das empresa ocorreu em abril deste ano, numa operação que criará uma empresa com valor de mercado de mais de 50 bilhões de dólares.

O acordo proposto pelas empresas, e aceiro pelo Cade, prevê a venda de unidades nas cidades mineiras de Arcos, Matozinhos e Santa Luzia e também na cidade de Cantagalo, Rio de Janeiro.

O Cade determinou que o comprador das unidades deverá ser aprovado pelo órgão antitruste e a operação de fusão entre as duas cimenteiras só poderá ser concluída após a venda dos ativos.

No Brasil, a francesa Lafarge atua por meio de nove fábricas de cimento e estações de mistura e moagem, 42 unidades fixas de produção de concreto ativas e quatro áreas de mineração localizadas nos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo, voltadas à produção de pedra britada.

Já a Holcim possui cinco fábricas de cimento e estações de moagem, cinco unidades ativas de produção de concreto, e três áreas de mineração de brita.

O relator do caso, conselheiro Gilvandro de Araújo, ressaltou em seu voto que as duas empresas foram proativas ao dialogar previamente com conselho.

A Superintendência-Geral do Cade já havia recomendado, no mês passado, a aprovação do acordo.   Continuação...