Comissão Mista de Orçamento aprova relatório de receita com corte de R$18 bi

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 13:56 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - A Comissão Mista de Orçamento aprovou nesta quarta-feira o relatório de receita ao projeto de lei orçamentária de 2015, com redução de 18 bilhões de reais em relação à proposta original do governo.

Com isso, a receita para o orçamento do próximo ano foi estimada em 1,429 trilhão de reais ante a previsão anterior de 1,447 trilhão de reais.

O relator da matéria, Paulo Pimenta (PT-SP), disse que a redução ocorreu após o governo enviar ao Congresso a revisão dos parâmetros macroeconômicos para o próximo ano.

Na semana passada, o governo passou a adotar as projeções macroeconômicas do mercado para estabelecer as metas fiscais dos próximos anos, indicando para 2015 crescimento de 0,8 por cento e meta de superávit primário para o setor público consolidado de 66,3 bilhões de reais, equivalente a 1,8 por cento do Produto Interno Bruto.

"O cálculo da receita do orçamento reflete um resultado dessa nova fase mais próxima da realidade. O objetivo é termos um orçamento exequível", disse Pimenta em referência à adequação das fontes de receita considerando o baixo ritmo de crescimento do país.

Após a votação do relatório da receita foi apresentado à comissão o relatório preliminar da proposta de lei orçamentária elaborado pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR). Esse relatório será submetido à votação em sessão marcada para às 18h desta quarta-feira.

Entre as mudanças, o relator arredondou o valor do salário mínimo de 2015 para 790 reais ante a proposta do governo de 788,06 reais, em mudança com impacto de 1,2 bilhão de reais. Essa alteração, no entanto, ainda terá que ser ratificada pela presidente Dilma Rousseff.

A partir da votação do relatório preliminar, Jucá irá se dedicar à elaboração do relatório principal do projeto da lei orçamentária de 2015, ao mesmo tempo em que será aberto prazo para a apresentação das emendas parlamentares individuais. Segundo o senador, o prazo final para a apresentação dessas emendas é a próxima segunda-feira.

A expectativa das lideranças do governo é trabalhar para que a proposta do orçamento possa ser votada pelo Congresso em 22 de dezembro.   Continuação...