Dólar sobe 0,55% e volta a R$2,61 com piora na cena externa

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 17:20 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta quarta-feira e renovou a máxima em quase dez anos, voltando à casa dos 2,61 reais, refletindo o aumento da aversão ao risco nos mercados internacionais em meio à queda dos preços do petróleo, que chegou às mínimas em cinco anos.

No cenário interno, o mercado também refletiu as incertezas sobre quais medidas serão adotadas pela nova equipe econômica da presidente Dilma Rousseff e o futuro do programa de intervenções diárias do Banco Central no câmbio.

A moeda norte-americana subiu 0,55 por cento, a 2,6125 reais na venda, após atingir 2,6176 reais na máxima e 2,5861 reais na mínima da sessão. Trata-se do nível mais alto de fechamento desde 15 de abril de 2005, quando foi a 2,620 reais.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1 bilhão de dólares.

"O mercado está sensível nesse clima de final de ano, com liquidez baixa. Uma piora no humor lá fora, como aconteceu hoje, acaba tendo um efeito exagerado", disse o operador de câmbio da corretora Intercam Glauber Romano.

O petróleo Brent caiu abaixo de 65 dólares por barril nesta quarta-feira devido a crescentes sinais de excesso de oferta e demanda fraca, acumulando perdas de mais de 40 por cento desde junho.

A queda da commodity impulsionou o dólar contra moedas como o peso mexicano e o rand sul-africano, ao mesmo tempo em que caíam os rendimentos dos Treasuries, com investidores buscando proteção na dívida soberana norte-americana.

A divisa vinha enfrentando dificuldades para se firmar acima de 2,60 reais, patamar que analistas identificam como uma resistência no curto prazo.   Continuação...