Escritórios de advocacia buscam investidores para ação coletiva contra Petrobras nos EUA

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014 18:47 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Escritórios norte-americanos de direito estão em busca de novos investidores interessados em participar de ação coletiva contra a Petrobras em Nova York.

A estatal brasileira está no centro da operação Lava Jato da Polícia Federal, que investiga suposto esquema bilionário de corrupção em obras da companhia, com envolvimento de funcionários e ex-empregados da empresa, empreiteiras e políticos.

Após o escritório Wolf Popper dar entrada em ação coletiva contra a Petrobras em tribunal federal no Distrito Sul de Nova York, na segunda-feira, com prazo até 6 de fevereiro para investidores se tornarem autores da ação, começou uma corrida de outros escritórios em busca de novos clientes.

O Glancy Binkow & Goldberg LLP enviou e-mail a investidores nesta quarta-feira dizendo que está investigando pedidos em nome de acionistas da Petrobras sobre supostas violações das leis federais de valores mobiliários dos Estados Unidos.

A investigação, segundo o escritório que fica em Los Angeles, na Califórnia, está focada em declarações emitidas pela petroleira entre 20 de maio de 2010 e 21 de novembro de 2014, sobre operações e desempenho financeiro.

Na carta enviada a investidores, o escritório alerta que há acusações de que a estatal teria deturpado ou omitido lavagem de dinheiro e suborno em um esquema multibilionário desde 2006.

Para o Glancy Binkow & Goldberg LLP, as denúncias recentes de corrupção envolvendo a Petrobras causaram uma queda de 46 por cento no valor das American Depositary Shares (ADS) da empresa entre 5 de setembro último e 24 novembro, para 10,50 dólares por ADS.

"Se você comprou ADS da Petrobras, se você tiver informações ou gostaria de saber mais sobre estas alegações, ou tem alguma dúvida sobre este anúncio ou de seus direitos ou interesses em relação a esses assuntos, entre em contato", diz comunicado do Glancy Binkow & Goldberg LLP.

Também nesta quarta-feira, os escritórios Brower Piven, da cidade de Stevenson, Maryland, e Kahn Swick & Foti, LLC, da cidade de New Orleans, Louisiana, enviaram mensagens a investidores lembrando o prazo de 6 de fevereiro para interessados em participar da ação coletiva. Ambos disseram que estão à disposição de investidores que se sintam prejudicados.   Continuação...

 
Sede da Petrobras, no Rio de Janeiro. REUTERS/Sergio Moraes  (BRAZIL - Tags: ENERGY BUSINESS)