Ser Educacional fecha compra da UnG por R$199 mi para ingressar no Estado de SP

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 10:03 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de educação Ser Educacional informou nesta segunda-feira que fechou a compra da Universidade de Guarulhos (UnG) por 199 milhões de reais, em negócio que dará à companhia ingresso no Estado de São Paulo, maior mercado de educação superior do país.

A companhia disse que o negócio representa um importante passo na sua estratégia de expansão, fazendo com que a Ser Educacional deixe de ser uma empresa regional para se transformar em uma empresa nacional.

O foco da Ser Educacional vinha sendo a consolidação de sua presença nas regiões Norte e Nordeste. Em julho a companhia comprou a Faculdade Santa Emília em Pernambuco e em outubro finalizou o processo de aquisição da Universidade da Amazônia e da Faculdade Integrada do Tapajós, no Norte.

A UnG possui cinco campi no Estado de São Paulo, dos quais três localizados em Guarulhos, um na cidade de São Paulo e outro em Itaquaquecetuba.

A instituição conta com cerca de 18,3 mil alunos matriculados, dos quais 17,5 mil pertencem à graduação preferencial, em 67 cursos.

Cerca de 10 por cento da base de alunos utiliza o programa de financiamento estudantil Fies, "o que demonstra potencial de crescimento quando comparado a 51,2 por cento da base da Ser Educacional", disse a companhia.

Após a conclusão do negócio, o grupo Ser Educacional passará a ter base consolidada de cerca de 149,8 mil alunos, sendo 116,2 mil de graduação, 9,4 mil de pós-graduação, 22,1 mil de cursos técnicos, 1,9 mil de ensino a distância e 0,3 mil de cursos livres. O grupo terá um total de 35 unidades, presentes em 12 Estados e 24 cidades.

O pagamento da operação será feito através da subsidiária da Ser Educacional Centro Nacional de Ensino Superior, sendo que 62,5 milhões de reais serão quitados na data de fechamento do negócio, dos quais será deduzido todo o endividamento líquido. Os 136,6 milhões de reais restantes serão pagos em cinco parcelas anuais, corrigidas pelo IGP-M.

(Por Priscila Jordão)