Economistas passam a ver alta de 0,5 ponto na Selic em janeiro

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 10:35 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Economistas de instituições financeiras passaram a projetar que o Banco Central irá manter o ritmo de aperto monetário na primeira reunião de 2015, sem alterarem a perspectiva para a Selic no final do próximo ano.

Ao mesmo tempo, eles não fizeram alterações nas estimativas para a inflação, mas elevaram a projeção para a taxa de câmbio, após o Banco Central ter projetado que os preços continuarão em alta e indicado que o ciclo de aperto monetário pode não ser tão forte.

Pesquisa Focus, realizada pelo BC junto a instituições financeiras e divulgada nesta segunda-feira, mostrou que os especialistas consultados passaram a ver alta de 0,5 ponto percentual na Selic em janeiro, seguida por outra de 0,25 ponto em março, de modo a atingir os 12,50 por cento que preveem como sendo a taxa no final do ano.

Na semana anterior a expectativa era de três altas seguidas de 0,25 ponto percentual.

Com isso a expectativa é de manutenção do ritmo inicialmente para desacelerar somente na segunda reunião de 2015, depois que o Comitê de Política Monetária (Copom) apressou o passo e elevou a taxa básica de juros em 0,5 ponto percentual no início deste mês, a 11,75 por cento.

Na ata dessa reunião, o BC disse que vê a inflação brasileira subindo no curto prazo e seguindo em alta em 2015. Mas destacou que ainda no próximo ano ela inicia um "longo período de declínio".

Ainda assim o Focus mostrou que a projeção para o IPCA em 2015 permaneceu em alta de 6,50 por cento. Para este ano o índice oficial também não sofreu alteração, projetado em 6,38 por cento.

Assim, para 2014 a projeção permanece dentro da meta --de 4,5 por cento, com margem de dois pontos percentuais para mais ou menos, enquanto para 2015 fica exatamente no limite do objetivo. Na sexta-feira o IBGE divulga os números de dezembro do IPCA-15, prévia da inflação oficial.

Sobre o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, a expectativa dos economistas caiu pela quarta vez seguida, em 0,02 ponto percentual, a 0,16 por cento. Para 2015 a estimativa é de expansão de 0,69 por cento, 0,04 ponto percentual a menos, terceira queda seguida.   Continuação...

 
Fachada da sede do Banco Central em Brasília. 15/01/2014. REUTERS/Ueslei Marcelino