Ikea abre na Coreia do Sul psua maior loja para atrair famílias bem pequenas

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 09:45 BRST
 

SEUL (Reuters) - A icônica varejista sueca de móveis Ikea [IKEA.UL] construiu sua maior loja do mundo para atender as famílias cada vez menores da Coreia do Sul, mirando milhões de pessoas que moram sozinhas com itens exclusivos ao país como camas de solteiro de tamanho gigante.

A loja foi inaugurada na quinta-feira em Gwangmyeong, uma viagem de menos de 1 hora de carro ou 14 minutos de trem do centro de Seul, com um espaço de vendas quase tão grande quanto o museu do Louvre com 59 mil metros quadrados. A loja recordista anterior da Ikea ficava em Estocolmo, com 55.200 metros quadrados.

Uma forte concorrência doméstica e gastos mais lentos transformaram a Coreia do Sul num campo de caça infeliz para gigantes globais do varejo como o Wal-Mart e o Carrefour, que saiu do país anos atrás. O design da Ikea, porém, é atrativo para as multidões urbanas da Coreia, e, com apenas poucas rivais locais grandes, a empresa está bem posicionada, dizem especialistas do varejo.

"A Coreia tem uma estrutura populacional que se encaixa no DNA de crescimento básico da Ikea --demanda de moradias em que vivem uma ou duas pessoas preocupadas com design", disse o professor de marketing da Universidade de Mulheres Sookmyung, Suh Yong-gu.

Com a população em envelhecimento mais acelerado no mundo, a atratividade da Coreia do Sul desapareceu para varejistas gerais. O crescimento dos gastos privados caiu de 4,4 por cento no ano em 2010 para 1,9 por cento em 2013.

Mas a Ikea, que tem presença em 43 países com 365 lojas, pode atender um nicho conforme planeja crescer para cinco lojas até 2020. À medida que pessoas mais jovens se casam mais tarde ou não se casam, o número de moradias com uma única pessoa no país de 51 milhões de cidadãos subirá para 34,3 por cento do total ante 25,3 por cento em 2012, segundo dados da Statistics Korea - e cada moradia precisa de móveis.

(Por Joyce Lee e Kahyun Yang)