Putin diz que economia da Rússia vai se recuperar, mas não oferece saída

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 13:22 BRST
 

Por Timothy Heritage e Alexei Anishchuk

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, garantiu nesta quinta-feira que a economia vai se recuperar após a dramática queda do rublo neste ano, mas não ofereceu nenhuma solução para a crise financeira que se aprofunda.

Em entrevista coletiva de três horas, Putin atribuiu os problemas econômicos a fatores externos e disse que a crise em torno da Ucrânia foi causada pelo Ocidente, que ele acusou de construir um muro de Berlim "virtual" para conter a Rússia.

Putin algumas vezes até fez piadas, apesar da pressão para consertar a economia, que está caminhando para a recessão em meio ao que seu ministro da Economia chamou de "tempestade perfeita" que inclui baixos preços do petróleo, as sanções do Ocidente sobre a Ucrânia e os problemas econômicos globais.

O rublo caiu cerca de 45 por cento em relação ao dólar neste ano, e sofreu quedas particularmente acentuadas na segunda-feira e terça-feira, mas Putin disse que sua eventual ascensão era inevitável e evitou usar a palavra "crise".

"Se a situação se desenrolar desfavoravelmente, teremos que ajustar nossos planos. Sem dúvida, teremos que cortar alguns (gastos). Mas uma virada positiva da situação atual é inevitável", disse Putin.

"O crescimento da economia global continuará e nossa economia vai se recuperar a partir da situação atual", disse ele.

Ele disse que a Rússia tem que diversificar sua economia para reduzir a dependência do petróleo, seu principal produto de exportação e uma fonte importante de receita estatal, e que uma recuperação pode ter início em algum momento do ano que vem.

Um forte opositor, o ex-primeiro-ministro Mikhail Kasyanov disse que a crise mostra que Putin administrou mal a economia e que ele deveria organizar eleições livres para acabar calmamente com seu domínio de quase 15 anos da Rússia.   Continuação...