IPO do Carrefour no Brasil dependerá do mercado, plano de novas lojas é mantido

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014 15:44 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - Uma eventual listagem em bolsa de ações do Carrefour Brasil dependerá das condições de mercado e o investimento do empresário Abilio Diniz na unidade não necessariamente promoverá uma aceleração no plano de abertura de lojas da rede francesa no país em 2015, disse o presidente do Carrefour, Georges Plassat.

"As janelas para um IPO não estão abertas hoje", afirmou o executivo em conferência com jornalistas nesta quinta-feira, acrescentando que a operação só será feita se for pertinente para o grupo e seus acionistas.

Após anunciar mais cedo a venda de 10 por cento do Carrefour Brasil a Abilio por 1,8 bilhão de reais, Plassat disse que os recursos não elevarão imediatamente o número de inaugurações previsto pela subsidiária brasileira em 2015, mantendo inalterada uma estimativa de 20 lojas novas.

"Temos que ser cuidadosos na qualidade, com o preço das novas lojas que estamos abrindo, não temos obrigação de abrir mais", disse.

Prestes a completar 40 anos no país no ano que vem, o Carrefour é o segundo maior varejista do país, atrás do Grupo Pão de Açúcar, somando 256 lojas no Brasil, incluindo as bandeiras bandeiras Atacadão e Supeco e as lojas de conveniência Carrefour Express.

Também presente na conferência, Abilio Diniz disse a jornalistas que seguirá como presidente do Conselho de Administração da empresa de alimentos BRF após entrada no capital social do Carrefour Brasil, do qual também será membro do Conselho.

"O assunto já foi examinado juridicamente e não há nenhum conflito de interesses", afirmou o empresário brasileiro.

A investida de Abilio marca seu retorno ao varejo de supermercados após a transferência em 2012 do controle da companhia fundada por seu pai, o GPA, ao grupo francês Casino, arquirrival do Carrefour.   Continuação...