Sabesp reduz orçamento em 2015 e busca manter endividamento sob controle

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 19:09 BRST
 

Por Anna Flávia Rochas

SÃO PAULO (Reuters) - A Sabesp manterá medidas de controle de custos em 2015, com orçamento previsto menor que em 2014, enquanto enfrenta crise hídrica no Estado de São Paulo que pressiona negativamente seus resultados financeiros.

O diretor-financeiro da empresa de saneamento de São Paulo, Rui Affonso, disse nesta sexta-feira que as obras que a empresa está conduzindo para segurança hídrica não representam elevação no investimento previsto para o período de 2014 a 2018, de 12,8 bilhões de reais, e que o nível de alavancagem total dos projetos conduzidos pela empresa se mantém em 50 por cento.

"O orçamento de 2015 será mais rigoroso que neste ano, bem mais rigoroso", disse ele em reunião com investidores e analistas.

Já o quadro de endividamento da companhia tende a continuar pressionado até o fim da crise hídrica, cuja duração não é possível prever. O executivo disse que buscará manter os índices de dívida da Sabesp dentro de patamares "saudáveis", cumprindo compromissos da empresa.

"Temos dezenas de covenants (compromisso com limites de endividamento)... Todo esforço da empresa é manter os índices econômico-financeiros saudáveis para poder manter os covenants todos atendidos", disse ele a jornalistas. Segundo o executivo, se "um ou outro" covenant não for cumprido, será por fatores "exógenos", como variação de dólar e juros.

A Sabesp tem previstas uma série de obras até 2017 que visam reforçar a segurança no abastecimento de água na Grande São Paulo, no momento em que a região enfrenta a pior crise de falta de chuvas em décadas e o nível das represas continua caindo.

Affonso explicou que essas obras não elevam a previsão de investimentos da empresa para até 2018, já que elas estão substituindo outras menos emergenciais.

  Continuação...