Alstom terá de pagar multa por corrupção, apesar de venda para a GE

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014 19:13 BRST
 

PARIS (Reuters) - O grupo de engenharia Alstom deixou os investidores inquietos nesta sexta-feira ao dizer que não conseguirá transferir para a General Electric uma iminente multa nos Estados Unidos por acusações de corrupção.

A empresa francesa está vendendo a maior parte de seu negócio de energia para o conglomerado industrial norte-americano por 12,35 bilhões de euros (15,15 bilhões de dólares) e transferindo suas dívidas como parte do pacote. Os investidores da Alstom interpretaram que isso significava que quaisquer custos com propinas seriam da GE.

Uma pessoa próxima ao assunto disse na semana passada que a empresa terá de pagar multa de 700 milhões de dólares para encerrar as acusações de que a Alstom subornou funcionários para garantir contratos de equipamentos de energia em Indonésia, Índia e China.

Esta seria a maior multa criminal aplicada nos Estados Unidos para pagamento de propina no exterior.

Falando numa assembléia geral extraordinária, na qual mais de 99 por cento aprovaram o negócio, Patrick Kron, presidente-executivo da Alstom, disse que as negociações estavam em fase final e que a Alstom, não a GE, provavelmente pagará a conta.

"Se um acordo for fechado, o que esperamos que ocorrerá em um futuro próximo, o Departamento de Justiça (dos EUA) deverá exigir que qualquer multa fique sob a responsabilidade da Alstom e não poderá sequer ser parcialmente transferida à GE", disse.

As ações da Alstom fecharam em queda de 3,88 por cento após a notícia.

(Por Natalie Huet e Benjamin Mallet)