Dilma diz que não pretende mudar diretoria da Petrobras

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014 13:52 BRST
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira não ver indícios de irregularidades pela atual diretoria da Petrobras e que não pretende trocar o comando operacional da estatal, que está no centro de um suposto escândalo de corrupção.

Dilma defendeu em particular a presidente da petroleira, Maria das Graças Foster, com quem tem uma amizade de longa data.

"Não vejo nenhum indício de irregularidades da atual diretoria da Petrobras", disse Dilma durante café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto. "Eu não estou pretendendo (fazer mudanças na diretoria da Petrobras)", afirmou.

As ações da Petrobras perderam o ímpeto após as declarações de Dilma. As preferenciais tinham alta de 0,81 por cento às 13h46, depois de terem avançado quase 4 por cento na máxima antes dos comentários da presidente da República.

A Petrobras é alvo de investigação sobre suposto esquema bilionário de corrupção em obras da empresa, com envolvimento de funcionários e ex-empregados, empreiteiras e políticos.

A pressão sobre Graça Foster, como prefere ser chamada a presidente da Petrobras, aumentou na semana passada, após vir a público que a funcionária da estatal Venina Velosa da Fonseca teria alertado no passado a presidente da empresa de irregularidades por email e pessoalmente.

Graça Foster já colocou seu cargo à disposição, mas Dilma rejeitou a saída da executiva.

Nesta manhã, Dilma disse que não há provas de irregularidades contra a presidente da Petrobras e que "é simplismo" achar que quem estava na diretoria sabia dos desvios ocorridos na estatal.   Continuação...

 
Presidente Dilma Rousseff durante café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto em 22 de dezembro de 2014. REUTERS/Joedson Alves (BRAZIL - Tags: POLITICS)