Alstom pagará multa recorde de US$772 mi em acordo nos EUA sobre acusações de suborno

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014 14:49 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - A empresa francesa Alstom se declarou culpada e vai pagar 772 milhões de dólares em penalidades criminais definidas em acordo com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em um caso em que a empresa é acusada de ter subornado funcionários governamentais para ganhar negócios ao redor do mundo.

O acordo anunciado pelo Departamento de Justiça dos EUA nesta segunda-feira marca a maior multa já aplicada pelo país a uma empresa por violação de leis estrangeiras contra suborno.

A multa vai encerrar acusações relacionadas a um "esquema amplo envolvendo dezenas de milhões de dólares" em subornos ao redor do mundo, incluindo em países como Indonésia, Arábia Saudita, Egito e Bahamas, afirmou o departamento norte-americano.

A empresa vai pagar ainda mais de 75 milhões de dólares para assegurar 4 bilhões de dólares em projetos no mundo, disse o departamento.

Mais cedo nesta segunda-feira, uma unidade da Alstom e dois funcionários da empresa também foram acusados pelo Escritório de Fraudes Graves no Reino Unido de suborno a funcionários de 2002 até parte de 2010.

A unidade de turbinas de energia da Alstom tem enfrentado intensa pressão, tanto por causa das vultosas multas envolvendo casos de suborno, quanto por uma queda nas encomendas e uma crise de liquidez.

Em junho, a empresa concordou em vender a maior parte do negócio de energia à General Electric para que pudesse voltar sua atenção para seus negócios ferroviários, de menor porte.