December 23, 2014 / 7:34 PM / 3 years ago

Bovespa tem 3a alta consecutiva e fecha na máxima do dia, com EUA e blue chips

3 Min, DE LEITURA

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou o pregão volátil e de poucos negócios desta terça-feira em alta de 1,5 por cento, seu terceiro ganho diário consecutivo, acompanhando as ações norte-americanas após dados melhores que o esperado sobre a economia do país.

No Brasil, as ações de Petrobras e Vale ficaram entre as principais influências positivas.

O Ibovespa encerrou o pregão com avanço de 1,53 por cento, a 50.889 pontos, na máxima da sessão.

O volume financeiro foi mais fraco que o normal, de 4,58 bilhões de reais, bem abaixo da média diária de 2014 de 7,3 bilhões de reais, com muitos participantes do mercado já fora de suas mesas diante da aproximação das festas de fim de ano.

As ações preferenciais e ordinárias da Petrobras fecharam em alta de cerca de 6 por cento, enquanto a preferencial da Vale ganhou 4,56 por cento.

"É um ajuste mais técnico, com investidores aproveitando os patamares mais deprimidos dos preços", disse o operador Thiago Montenegro, da Quantitas Asset Management.

"Há algum movimento de investidores estrangeiros. Foi muito negativo o fluxo nas semanas passada e retrasada e agora vemos algum fluxo no sentido contrário", acrescentou.

Operadores afirmaram que os movimentos dos papéis da Petrobras, que está no centro de um suposto esquema bilionário de corrupção, refletem até aqui nesta semana principalmente os baixos preços que a cotação atingiu nos últimos dias, com a ação preferencial indo ao menor patamar desde maio de 2005, o que chamava compradores, em detrimento de notícias pontuais.

A estatal divulgou mais cedo que bateu recorde histórico de produção própria diária de óleo e LGN que durava quatro anos.

No exterior, os principais índices norte-americanos atingiram novos recordes durante os negócios, o que também foi favorável para a Bovespa. O resultado do Produto Interno Bruto (PIB) dos EUA no terceiro trimestre foi revisado para cima para mostrar crescimento em ritmo anual de 5,0 por cento, ante 3,9 por cento divulgados no mês passado.

A expectativa de economistas consultados pela Reuters era de expansão ao ritmo de 4,3 por cento.

Além disso, o petróleo tipo Brent subia mais de 1 por cento, um alívio para investidores após a derrocada da commodity ter trazido intensa aversão ao risco ao mercado mais cedo neste mês.

Entre outros destaques de alta do Ibovespa apareceram a siderúrgica CSN e a companhia do setor imobiliário Rossi Residencial, subindo 27,52 por cento.

Operadores afirmaram que não havia uma razão específica para a disparada do papel da Rossi, que passava por recuperação de preço. A ação da empresa ainda acumula queda de 68 por cento em 2014.

A companhia aérea Gol teve a maior queda Ibovespa, de 2,93 por cento, com o petróleo e o dólar em alta, combinação desfavorável para os preços do querosene de aviação, que representam cerca de 40 por cento dos custos da empresa.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below