Índices acionários fecham estáveis em sessão mais curta

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014 17:12 BRST
 

Por Ryan Vlastelica

NOVA YORK (Reuters) - Os principais índices acionários dos Estados Unidos terminaram a sessão mais curta estáveis, uma vez que os investidores não viram motivos para impulsionar o Dow Jones e o S&P 500 ao sexto dia de ganhos, apesar da força em ações de biotecnologia e do dado positivo do mercado de trabalho.

O índice Dow Jones teve leve alta de 0,03 por cento, a 18.030 pontos, enquanto o S&P 500 teve variação negativa de 0,01 por cento, a 2.081 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq subiu 0,17 por cento, a 4.773 pontos.

Apesar de o S&P 500 e o Dow Jones terem atingido máximas intradia e do Dow Jones ter encerrado em um recorde mínimo, os movimentos do dia foram fracos e o volume baixo, com muitos participantes do mercado fora para o feriado de Natal.

Em uma sessão quer terminou três horas mais cedo, cerca de 2,5 bilhões de ações foram negociadas nas plataformas norte-americanas, de acordo com dados da BATS, muito abaixo da média do mês de 7,66 bilhões. Os mercados reabrem na sexta-feira.

Os ganhos recentes acontecem depois de declarações do Federal Reserve, banco central dos EUA, e de dados econômicos melhores, uma tendência que continuou com os números de pedidos de auxílio-desemprego divulgados nesta quarta-feira. Houve uma queda de 9 mil pedidos iniciais de auxílio-desemprego, para 280 mil, em número ajustado sazonalmente, a quarta queda seguida e abaixo da estimativa de 290 mil.

"As ações caminham para um fim de ano em uma boa posição", disse o estrategista-sênior do U.S. Bank Wealth Management, Terry Sandven.

As ações do setor de biotecnologia foram os destaques positivos do dia, com o índice de biotecnologia do Nasdaq subindo 1,6 por cento, em uma recuperação parcial da queda de quase 7 por cento nas duas sessões anteriores. As ações da Celgene subiram 3,3 por cento, enquanto as da Gilead Sciences avançaram 2 por cento.

((Tradução Redação Rio de Janeiro, 55 21 2223 7155))

REUTERS FB LB