Em dia de poucos negócios, Petrobras pressiona e Bovespa encerra série de 3 altas

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014 17:37 BRST
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa brasileira interrompeu série de três ganhos consecutivos e fechou em baixa nesta sexta-feira, pregão de poucos negócios entre feriados, cedendo principalmente às quedas das ações da Petrobras com a continuidade do noticiário negativo para a companhia.

O Ibovespa caiu 1,46 por cento, a 50.144 pontos, na esteira de três altas consecutivas. O volume financeiro do pregão foi de 2,75 bilhões de reais, bem abaixo da média diária de 7,3 bilhões de reais em 2014.

Na semana, segunda seguida de alta, o índice ganhou 0,99 por cento.

O mercado acionário ficou fechado nos dois últimos dias devido ao feriado de Natal e os investidores também já se preparam para as festas de Réveillon, o que limitou as negociações. As bolsas europeias não abriram, o que colaborou ainda mais para reduzir a liquidez.

Os principais índices norte-americanos avançavam, a caminho da segunda semana consecutiva de ganhos, em movimento que ajudou a Bovespa a anular perdas no fim da manhã.

"O índice esboçou uma melhora durante a manhã, mas acabou pesando de novo com Petrobras batendo nas mínimas do dia", disse o gerente de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo Santos.

As ações da petroleira, que subiram cerca de 6 por cento na última sessão na Bovespa em movimento de ajuste, caíram na mesma proporção nesta sexta, com o mercado digerindo novas notícias relacionadas ao suposto esquema bilionário de corrupção envolvendo a estatal.

Na última terça-feira, após o fechamento do mercado, a Moody's colocou o rating "Baa2" da companhia em moeda estrangeira e local em revisão para possível rebaixamento. Na quarta-feira, a cidade norte-americana de Providence entrou com uma ação coletiva contra a empresa, argumentando que investidores adquiriram papéis da estatal com preços inflados pelos contratos superfaturados à base de propina, no suposto esquema revelado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal.   Continuação...