Eletrobras prevê investir R$14,1 bi em 2015 e R$12 bi em 2014

terça-feira, 30 de dezembro de 2014 12:35 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal elétrica Eletrobras estima orçamento de 14,1 bilhões de reais para investimentos em 2015, mesmo patamar que havia previsto para 2014, quando deverá de fato investir 12 bilhões de reais, informou em comunicado nesta terça-feira.

Até novembro deste ano, a companhia investiu 10,2 bilhões de reais e prevê o desembolso de outros 1,8 bilhão de reais até o fim de dezembro.

"A reestruturação dos processos empresariais, a readequação dos custos em relação às receitas e a otimização dos esforços entre as empresas Eletrobras, questões que já vinham sendo tratadas nos últimos anos, serão intensificadas em 2015", informou a companhia.

Em 2015, a estatal irá iniciar a implantação do Plano Estratégico 2015-2030, por meio do qual pretende ficar entre as três maiores empresas globais de energia limpa e entre as dez maiores do mundo em energia elétrica, "com rentabilidade comparável às melhores do setor".

INVESTIMENTOS REALIZADOS

No acumulado de janeiro a novembro, a Eletrobras investiu 5,7 bilhões de reais no segmento de geração de energia, 3,7 bilhões em transmissão, 600 milhões de reais em distribuição e 200 milhões de reais em outras frentes.

Até 31 de dezembro, a empresa deverá elevar sua capacidade de geração de energia em 1.609,1 megawatts (MW), o que representa 26 por cento de 6,2 gigawatts (GW) previstos para o país.

Já em transmissão, de forma individual ou por meio de Sociedades de Propósito Específico (SPEs), a Eletrobras possui empreendimentos contratados, em construção ou a iniciar que vão incorporar ao Sistema Interligado Nacional (SIN), até 2019, cerca de 13,5 mil quilômetros de linhas de transmissão.

Em 2015, a empresa pretende finalizar as obras da interligação Brasil-Uruguai em 500kV para que até o fim do primeiro semestre do próximo ano o Uruguai já esteja sendo abastecido com energia brasileira por meio dessa linha.   Continuação...

 
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro. 20/12/2014. REUTERS/Pilar Olivares