Incêndio em porto da Líbia destrói até 1,8 mi barris de petróleo

terça-feira, 30 de dezembro de 2014 18:04 BRST
 

TRÍPOLI (Reuters) - Um incêndio que já dura quase duas semanas em Es Sider, o maior porto exportador de petróleo da Líbia, destruiu até 1,8 milhão de barris do produto e danificou sete tanques de armazenagem, causando um prejuízo de 213 milhões de dólares, disse um alto executivo nesta terça-feira.

O terminal de Es Sider e o de Ras Lanuf, nas proximidades, pararam de operar três semanas atrás, quando forças leais a um governo rival em Trípoli tentaram tomá-los de forças aliadas ao reconhecido primeiro-ministro Abdullah al-Thinni.

Os terminais ainda estão sob o controle das forças de Thinni, mas a área tornou-se um campo de batalha contra ex-rebeldes que ajudaram a derrubar Muammar Gaddafi em 2011, mas agora lutam pelo controle do país do norte africano.

Um grande incêndio em um parque de tanques fora do terminal foi relatado na quinta-feira depois de um ataque de foguete, com ambos os lados culpando o adversário.

O mais graduado executivo de petróleo de Thinni, al-Mabrook al-Buseif, disse à Reuters que o fogo danificou sete tanques e destruiu 1,8 milhão de barris de petróleo, cerca de quatro vezes a produção diária da Líbia.

Dois tanques entraram em colapso e outros dois ainda estão em chamas, disse Mohamed El Harari, porta-voz da petroleira estatal National Oil Corp (NOC). Incêndios em dois tanques já foram apagados.

Thinni foi forçado mudar-se para o leste do país desde que um grupo rival chamado Amanhecer Líbio capturou Trípoli, em agosto, instalando seu próprio governo e parlamento, que não são reconhecidos pelas potências mundiais.

Es Sider é abastecida a partir de campos geridos pela Waha Oil, joint-venture entre a NOC da Líbia e as norte-americanas Hess, Marathon e ConocoPhillips.

Sem os dois portos que representam cerca de 300 mil barris por dia (bpd) de exportações, a produção da Líbia estava na faixa de 380 mil bpd com informações do domingo, disse Harari.