Ibovespa abre 2015 abaixo de 49 mil pontos com mercado à espera de sinais econômicos

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015 17:43 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa abriu 2015 com fortes perdas e giro reduzido, um dia após a presidente Dilma Rousseff tomar posse de seu segundo mandato, em meio à desconfiança do mercado antes do anúncio de medidas visando os amplamente aguardados ajustes na economia.

O quadro externo pouco ajudou, com dados de dezembro confirmando no feriado do Ano Novo a fraqueza na atividade industrial na China, enquanto indicadores na zona do euro e nos Estados Unidos apresentaram desaceleração da indústria.

O Ibovespa caiu 2,99 por cento, a 48.512 pontos. O volume financeiro do pregão somou 5,3 bilhões de reais.

"Não há disposição em se aumentar o investimento em ações no Brasil enquanto não se retomar a confiança", disse o analista Marco Aurelio Barbosa, da CM Capital Markets.

"Não estou falando isso pelo movimento desta sexta-feira, porque com o volume reduzido não se pode assumir tendência. Mas a equipe econômica precisa começar a entregar resultado para que a confiança seja retomada aos poucos e os investidores se animem a voltar para o mercado", afirmou.

Na véspera, em seu discurso de posse, a presidente Dilma afirmou que a retomada do crescimento econômico do país passa pelo ajuste das contas públicas e que a corrupção precisa ser extirpada.

O ex-diretor do Banco Central Mario Mesquita, que comanda a área de economia do Banco Brasil Plural, avaliou que a fala de Dilma foi "econômica em autocrítica e generosa em promessas difíceis de cumprir, como um ajuste fiscal indolor".

"Foi, em um sentido amplo, consistente com a aparente mudança para uma nova política econômica mais próxima do mercado, mas com o habitual viés estatizante-nacionalista", disse Mesquita, em nota a clientes nesta sexta-feira.   Continuação...