Setor de energia leva bolsas dos EUA a pior dia desde outubro

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015 20:41 BRST
 

Por Sinead Carew

NOVA YORK (Reuters) - O índice S&P 500 teve o pior dia em quase três meses nesta segunda-feira, com as ações de energia liderando o declínio por preocupações sobre a economia global agravadas pela queda dos preços petróleo.

O Dow Jones caiu 1,86 por cento, a 17.501 pontos. O S&P 500 cedeu 1,83 por cento, a 2.020 pontos. O Nasdaq teve declínio de 1,57 por cento, a 4.652 pontos.

O S&P teve a primeira série de quatro quedas seguidas desde dezembro de 2013 e sua maior queda diária desde 9 de outubro.

A cotação futura do barril de petróleo caiu ao piso desde 2009, em meio a excesso de oferta e fraca demanda global. O preço do WTI bruto caiu 5 por cento para menos de 50 dólares o barril.

     O euro caiu à mínima de quase nove anos em relação ao dólar na plataforma EBS, devido à incerteza política na Grécia, com temores de possível saída do país da zona do euro.

     O assunto pautou os negócios segundo Paul Nolte, gerente de portfólio da Kingsview Asset Management.

     "Vai ser muito difícil ver muito crescimento econômico se a Grécia tiver que voltar à sua moeda", disse ele. "Isso criaria muito mais caos e tiraria o foco do crescimento econômico."

     A força do dólar também adicionou pressão sobre as commodities atreladas ao dólar. A cotação do dólar contra uma cesta de moedas caiu ao piso desde dezembro de 2005.

     O setor de energia do S&P 500 perdeu 4 por cento, maior queda diária desde 28 de novembro. O índice caiu quase 20 por cento no segundo semestre do ano passado.