Paulistanos querem gastar menos com bens duráveis no 1o trimestre, diz FIA

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015 12:07 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O índice de consumidores da cidade de São Paulo que pretendem comprar bens duráveis durante o primeiro trimestre de 2015 mostrou estabilidade sobre igual etapa do ano passado, mas com os paulistanos indicando que querem gastar menos, divulgou a Fundação Instituto de Administração (FIA) nesta quarta-feira, apontando um sentimento de cautela diante de cenário de juros e inflação em alta.

Em pesquisa realizada pelo Programa de Administração do Varejo da instituição, 49,6 por cento dos entrevistados mostraram disposição de comprar bens duráveis no período, mesmo patamar do primeiro trimestre de 2014.

Enquanto isso, o valor médio da expectativa de gasto sofreu ligeira queda para 2.507 reais, ante 2.584 reais um ano antes.

Na comparação sequencial, por outro lado, houve avanço na intenção de compra de bens duráveis ante os 40,4 por cento registrados de outubro a dezembro de 2014, indicando, segundo o diretor-presidente da FIA, Claudio Felisoni, o quão fraco foi o Natal.

"As pessoas seguraram as compras para comprar durante as promoções de início de ano", afirmou ele, descartando que o avanço seja reflexo de um movimento de retomada de vendas.

Entre as categorias de maior destaque, a de vestuário e calçados foi citada por 16,2 por cento dos paulistanos na pesquisa, seguida por viagens e turismo (12,4 por cento), e material de construção (8,8 por cento).

A FIA estima que as vendas gerais, incluindo não duráveis, vão crescer em volume 1,3 por cento no primeiro trimestre sobre um ano antes.

Em apresentação, Felisoni pontuou que a expectativa de inflação continua alta, em um momento em que a inadimplência segue elevada, com redução das sobras no orçamento familiar.

Por isso, afirmou ele, a desaceleração no ritmo de vendas do varejo já observada em 2014 deverá seguir em 2015.   Continuação...