Produção industrial tem queda inesperada de 0,7% em novembro e acende alerta sobre PIB

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015 11:46 BRST
 

Por Walter Brandimarte e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A produção industrial brasileira recuou 0,7 por cento em novembro sobre o mês anterior, num resultado inesperado que mostrou desempenho pífio em todas as categorias e indica a possibilidade de a economia como um todo ter contraído em 2014.

Na comparação com um ano antes, a produção despencou 5,8 por cento em novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, nono resultado negativo seguido e queda mais forte desde junho --quando ela foi de 6,9 por cento.

Com isso, o setor acumula em 12 meses recuo de 3,2 por cento, o mais acentuado desde janeiro de 2010 (-4,8 por cento), reflexo da baixa confiança do empresário e do consumidor, da evolução mais lenta da demanda doméstica, da restrição maior ao crédito e da formação de estoques do setor como um todo, entre outros fatores, segundo o economista do IBGE André Luiz Macedo,

"Esse ano de 2014 foi de menor intensidade para a indústria. No fim do ano houve uma predominância de relatos de paralisação das atividades produtivas, concessão de férias coletivas. É uma tentativa de adequação da produção corrente à demanda atual", explicou Macedo.

A expectativa de analistas em pesquisa da Reuters era de que a produção industrial crescesse 0,5 por cento em novembro sobre outubro, quando a atividade teve alta de 0,1 por cento em dado revisado pelo IBGE. Na comparação anual a expectativa era de queda de 4 por cento.

BENS DE CONSUMO

Segundo o IBGE, a produção de Bens de Consumo Duráveis recuou 2,1 por cento em novembro sobre o mês anterior, chegando a uma queda de 11 por cento na comparação com um ano antes.   Continuação...

 
REUTERS/Nacho Doce (BRAZIL - Tags: TRANSPORT BUSINESS EMPLOYMENT) - RTX12K8B