Chuvas irregulares devem trazer quebras regionais ao café do Brasil, diz Somar

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015 16:11 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A próxima safra de café do Brasil deverá registrar perdas "regionalizadas" de produtividade, em função da irregularidade das chuvas, afirmou um agrometeorologista da Somar Meteorologia nesta quinta-feira.

As perdas pontuais poderiam ter algum efeito no total a ser colhido no maior produtor global de café, mas nada comparado à quebra registrada em 2014, que foi generalizada, quando o Sudeste brasileiro foi afetado por uma das piores secas e altas temperaturas no verão.

"Como é muito recente 2014, está todo mundo apavorado. Teremos quebras regionalizadas sim... Não é como 2014, que quebrou a safra inteira. Mas isso (quebra regional), tenho certeza que vai ter", afirmou Marco Antônio dos Santos.

As preocupações em relação aos efeitos do clima para a safra brasileira têm sustentado os contratos futuros do café arábica na bolsa de Nova York, que chegaram a subir mais de 4 por cento nesta quinta-feira.

"Algumas micro regiões estão com chuvas boas, mas de uma forma geral é uma situação preocupante, o sinal amarelo está piscando", disse ele.

O Brasil colheu 45,3 milhões de sacas de 60 kg de café em 2014, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), uma queda de 7,7 por cento na comparação com a temporada anterior.

As chuvas irregulares, explicou Santos, são causadas por bloqueios atmosféricos que impedem o avanço de frentes frias do Sul e a ocorrência de chuvas generalizadas no Sudeste, onde estão os dois principais Estados produtores de café arábica do Brasil: Minas Gerais e São Paulo.

"Quando a frente fria entra na altura de São Paulo, ela encontra águas frias do Atlântico, e ela não tem sustentação para se manter no Sudeste e seguir para o Nordeste. Já na altura de São Paulo ela vai para o oceano, e ela não consegue organizar a umidade da Amazônia, para provocar chuvas mais generalizadas", disse.

Dessa forma, apenas são formadas áreas de instabilidade que não garantem períodos mais prolongados de chuvas.   Continuação...

 
REUTERS/Paulo Whitaker (BRAZIL - Tags: AGRICULTURE ENVIRONMENT BUSINESS COMMODITIES)