Tombini repete que fará "o que for necessário" para domar a inflação

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 12:17 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, reafirmou nesta quinta-feira que será feito "o que for necessário" para a inflação entrar em "longo período de declínio" e que a levará ao centro da meta em 2016.

Em nota para comentar o resultado do IPCA de 2014, Tombini voltou a reconhecer ainda que a inflação tende a mostrar resistência no curto prazo.

Tombini também voltou a argumentar que o atual patamar de inflação vem do realinhamento dos preços domésticos em relação aos preços internacionais, ou seja, do câmbio, e do realinhamento dos preços administrados em relação aos livres.

Em 2014, o IPCA fechou com alta de 6,41 por cento, próximo do teto da meta do governo --de 4,5 por cento, com margem de dois pontos percentuais para mais ou menos.

(Por Patrícia Duarte)

 
Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. REUTERS/Joedson Alves (BRAZIL - Tags: BUSINESS POLITICS HEADSHOT)