Bovespa fecha em queda de 2% com bancos; elétricas despencam

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015 19:23 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em queda nesta sexta-feira, pressionado pelas ações dos bancos, em sessão também negativa nas bolsas em Nova York, mesmo após dados mostrando criação de empregos acima do esperado nos Estados Unidos.

O setor elétrico também foi destaque negativo no pregão, em meio a incertezas sobre novo empréstimo para socorrer as distribuidoras de energia, bem como perspectiva de menos chuvas no mês.

Após avançar nos três dias anteriores, o Ibovespa recuou 2,21 por cento, a 48.840 pontos, o que fez com que a primeira semana efetiva de 2015 terminasse com alta acumulada de 0,68 por cento.

O volume financeiro na bolsa somou 5,1 bilhões de reais, abaixo da média dos primeiros pregões do ano.

Nos Estados Unidos, o Departamento do Trabalho reportou a criação de 252 mil vagas fora do setor agrícola no mês passado, depois da abertura de 353 mil em novembro de acordo com dados revisados, mas alguns analistas viram os dados de renda com menos otimismo.

Em Wall Street, após duas altas seguidas, as vendas predominavam, sustentando o S&P 500 no vermelho.

No Brasil, os papéis de Itaú Unibanco e Bradesco recuaram 4,37 e 4,34 por cento, respectivamente, o que pesou no Ibovespa, uma vez que combinados os dois respondem por quase 20 por cento do índice. Banco do Brasil caiu 4,33 por cento.

Em entrevista à Reuters, um executivo do Itaú disse que a instituição pode aumentar as provisões para perdas com inadimplência de empresas em 2015, como resultado dos efeitos do escândalo de corrupção envolvendo as maiores empreiteiras do país e a Petrobras.   Continuação...