Produção de café do Sul de Minas pode cair 20% em 2015 ante 2014, diz cooperativa

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015 16:29 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Sul de Minas Gerais, principal região produtora de café do Brasil, poderá produzir 20 por cento menos em 2015 do que em 2014, em função da seca recente, de acordo com avaliação da cooperativa Cocatrel, depois de perdas pelo tempo quente e seco por conta da seca histórica do ano passado.

     A estimativa foi feita em uma reunião de um grupo de especialistas técnicos com representantes de 15 cooperativas do Sul de Minas Gerais, disse nesta segunda-feira o gerente do departamento técnico da Cocatrel, Roberto Felicori, em entrevista por telefone.

     "É pior do que no ano passado", disse ele sobre a safra de café de 2015, que será colhida a partir de maio, destacando um déficit hídrico de 200 milímetros.

     A seca no Sudeste do Brasil fez os preços arábica subirem 50 por cento em 2014, e renovadas preocupações com o clima empurraram para cima os preços em 12 por cento na semana passada.

     Felicori disse que agora espera que as produtividades nas áreas dos integrantes da Cocatrel caiam para 15 sacas por hectare, ante 17 sacas por hectare em 2014.

Os rendimentos médios no Brasil em 2014 foram de 23,3 sacas por hectare, de acordo com a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab).

A Conab informou em dezembro que o sul e centro-oeste de Minas Gerais, que produz cerca de um terço da safra de arábica do Brasil, colheu 10,8 milhões de sacas em 2014, uma redução de 21,3 por cento ante sua primeira estimativa para a safra.

     A safra de 2015 deve ser um ano para baixa no ciclo bienal de produtividade do café arábica, mas a seca de 2014 inverteu o ciclo em muitas áreas.

A Conab vai divulgar sua primeira previsão para a safra de 2015 na terça-feira. A cooperativa Cocatrel recebeu cerca de 900 mil sacas de café dos produtores em 2014.

(Por Caroline Stauffer)

 
REUTERS/Bruno Kelly (BRAZIL - Tags: BUSINESS AGRICULTURE FOOD) - RTR3B7OQ