January 13, 2015 / 3:43 PM / 3 years ago

Governo federal adia conclusão da BR-163 no Pará para 2016

3 Min, DE LEITURA

Nacho Doce (BRAZIL - Tags: BUSINESS COMMODITIES POLITICS AGRICULTURE TRANSPORT)

BRASÍLIA (Reuters) - A conclusão do asfaltamento da BR-163, no Pará, deverá ocorrer em 2016, disse nesta terça-feira o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, indicando novo adiamento da conclusão das obras do importante corredor de escoamento de produtos agrícolas pelo Norte do país.

O asfaltamento total da rodovia é uma promessa antiga, e a data de sua conclusão vem sendo sucessivamente postergada.

A BR-163, no trecho entre Cuiabá (MT) até Santarém (PA), foi inaugurada na década de 1970, mas não chegou a ser asfaltada. O trabalho de pavimentação está em andamento há cerca de seis anos.

Em fevereiro de 2014, a presidente Dilma Rousseff chegou a dizer que a obra estaria pronta até meados de 2015.

"Até o final de 2016 teremos a estrada BR-163 finalizada", disse Rodrigues, durante o anúncio de um plano com medidas de diversos ministérios para agilizar o escoamento da safra de grãos 2014/15, que deverá atingir um recorde de mais de 200 milhões de toneladas.

O ministro acrescentou que ainda existem 136 quilômetros não pavimentados na BR-163.

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou que as obras não avançaram por falta de licenciamento ambiental.

Enquanto a rodovia não é finalizada, medidas paliativas estão previstas.

Entre as ações planejadas pelo governo para a safra 2014/15, está a colocação de cascalho para amenizar os atoleiros na BR-163 e em outras rodovias não pavimentadas do país.

A BR-163 é uma peça fundamental da nova rota de escoamento de grãos ligando o Mato Grosso --maior produtor do país-- às hidrovias e portos na região Norte.

Em maio do ano passado, a multinacional Bunge inaugurou a rota, que inclui um terminal fluvial no município de Itaituba (PA), às margens da BR-163, onde os grãos são transferidos para barcaças que seguem pelos rios Tapajós e Amazonas até um porto exportador em Barcarena (PA).

A primeira a se aventurar no eixo rodoviário foi a norte-americana Cargill [CARG.UL], que em 2003 instalou um terminal para navios em Santarém (PA), exatamente na ponta final da BR-163, atenta à promessa do governo federal de concluir rapidamente o asfaltamento da rodovia.

Além do uso de cascalho em rodovias não asfaltadas, o plano do governo federal inclui medidas para evitar filas na chegada ao porto de Santos, o principal do país.

O agendamento para a chegada de cargas, que já estava em vigor ao longo de 2014, passará a ser automatizado, disse o Ministério dos Transportes. Também deverá haver ampliação na capacidade de pátios de triagem e estacionamento dos caminhões.

Por Nestor Rabello

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below