Baixa contábil no Goldman de empréstimo ao Banco Espirito Santo afeta lucro e bônus

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015 08:04 BRST
 

Por Lauren Tara LaCapra

NOVA YORK (Reuters) - O Goldman Sachs Group teve que fazer uma baixa contábil do seu empréstimo ao problemático Banco Espírito Santo no quarto trimestre, o que cortou o lucro do banco e os bônus de alguns funcionários, disseram pessoas familiarizadas com o assunto à Reuters.

A baixa contábil veio no final do trimestre, após uma decisão em 22 de dezembro pelo banco central de Portugal que efetivamente varreu certos credores do Banco Espírito Santo.

Na véspera de Natal, um grupo de altos executivos do Goldman realizou uma teleconferência para discutir a baixa contábil e como ela afetaria bônus a funcionários, segundo fontes familiarizadas com o assunto.

Cerca de 15 a 20 pessoas trabalharam no negócio com o Banco Espírito Santo, mas em função da forma como o Goldman estrutura seus bônus, até 50 pessoas em um grupo mais amplo serão afetadas.

O Goldman e alguns de seus clientes emprestaram ao Banco Espírito Santo 835 milhões de dólares em julho usando uma entidade que criou chamada de Oak Finance Luxembourg.

O Banco de Portugal entrou em cena com um resgate de 4,4 bilhões de euros (5,2 bilhões de dólares) do Banco Espírito Santo em agosto, dividindo a instituição portuguesa em duas partes: um novo e saudável banco chamado Novo Banco e uma entidade com o restante do legado que será encerrada.

O colapso do Banco Espírito Santo veio depois de ele ter revelado perdas em empréstimos feitos a uma variedade de empresas geridas por sua família fundadora. O grupo Espírito Santo, que incluía empresas de turismo, saúde e agricultura, pediu proteção contra falência e começou a ser liquidado no ano passado.

Desde então, procuradores portugueses lançaram uma investigação acerca do colapso da companhia. A nova gestão encarregada pelo banco central de assumir o Banco Espírito Santo já chegou a dizer que tinha suspeitas que o banco havia se engajado em comportamento ilegal.   Continuação...