"Rei da Soja" da Argentina abdica em favor da biotecnologia

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015 16:52 BRST
 

Por Hugh Bronstein

BUENOS AIRES (Reuters) - A empresa que liderou a expansão vertiginosa do cultivo de soja na Argentina durante as duas últimas décadas reduziu discretamente a área que cultiva em mais da metade, com a inflação, as restrições ao comércio e os altos impostos drenando lucros dos produtores.

Los Grobo, que já foi conhecido como "Rei da Soja" do país sul-americano, abdicou do trono em favor do que o presidente da companhia, Gustavo Grobocopatel, julga o futuro: a biotecnologia.

"A agricultura na Argentina é pouco rentável, ou não lucrativa, porque os custos subiram, os preços dos grãos caíram e a carga tributária é exorbitante", disse ele. "Tornou-se a agricultura de subsistência."

Entre os problemas dos agricultores argentinos estão inflação de dois dígitos, controles pesados do câmbio de moeda e de importação; um rigoroso sistema de cotas de exportação de milho e trigo; e um imposto de 35 por cento sobre as exportações de soja.

Los Grobo reduziu sua área agrícola sob gestão para 50 mil hectares, de 120.000 hectares, há três anos.

"A agricultura tornou-se uma parte menor do nosso negócio, enquanto os serviços e a parte industrial aumentaram", disse Grobocopatel.

"Os produtores precisam de logística, financiamento, gestão de riscos e de transferência de tecnologia e know-how. Queremos ser uma loja integral."

A esperança é alta entre os produtores de que a eleição presidencial de outubro dê início a mudanças na política agrícola. Se isso acontecer ou não, a Los Grobo avalia que os agricultores que permanecerem no jogo vão precisar de mais e melhor aconselhamento do que nunca.   Continuação...