Trabalhadores da refinaria RLAM da Petrobras desaceleram atividades até terça

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 18:07 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Trabalhadores da segunda maior refinaria do Brasil, a Landulpho Alves (RLAM), da Petrobras na Bahia, planejam desacelerar atividades até a manhã de terça em protesto contra explosão e feridos, afirmou à Reuters o diretor do Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro-BA), Cedro Silva.

O protesto acontece após acidente que feriu gravemente três trabalhadores na tarde de domingo. A unidade tem capacidade para processar 323.000 barris de petróleo por dia.

Os trabalhadores não realizaram a troca de turnos e seguem em operação padrão, o que começou nesta segunda-feira de manhã e permanecerá até o início de terça-feira.

A desaceleração não vai parar o processamento de petróleo ou a produção de combustíveis na refinaria, afirmou Silva, mas vai reduzir a produção e a eficiência em pequena quantidade.

(Por Jeb Blount)