ENTREVISTA-Renegociação de empréstimos a distribuidoras deve envolver redução de juros, diz Braga

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015 16:39 BRST
 

Por Leonardo Goy e Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA (Reuters) - A renegociação dos empréstimos contratados em 2014 por distribuidoras de energia junto a bancos deverá envolver redução de taxas de juros dos financiamentos e alongamento de prazos, defendeu nesta quarta-feira o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, em entrevista à Reuters.

Segundo o ministro, após a definição do repasse da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para as tarifas de eletricidade, a situação de geração de caixa das distribuidoras vai melhorar e comportará uma revisão do contrato de empréstimos das empresas junto aos bancos.

"A qualidade do recebível melhorou. A geração de caixa melhorou, portanto não faz sentido não alongarmos o contrato e não revisarmos a taxa de juros que foi cobrada, que foi taxa de juros de mercado, porque o risco é menor", disse Braga. "Claro que tem de reduzir (os juros)", insistiu.

No ano passado, os bancos concederam dois empréstimos no total de 17,8 bilhões de reais às distribuidoras de energia do país para ajudá-las a fazer frente aos pesados gastos gerados pela compra de energia no mercado de curto prazo.

Um último empréstimo, de 2,5 bilhões de reais, ainda será buscado para quitar as despesas de novembro e dezembro das distribuidoras no mercado de curto prazo.

Segundo Braga, a renegociação das condições dos empréstimos de 2014 ao setor será feita conjuntamente com as tratativas para a liberação do financiamento adicional agora.

SEM RACIONAMENTO   Continuação...

 
REUTERS/Ueslei Marcelino