Wall Street fecha em alta à espera do BCE; IBM pesa

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015 20:37 BRST
 

Por Rodrigo Campos

NOVA YORK (Reuters) - O mercado acionário dos Estados Unidos fechou em alta em uma sessão volátil nesta quarta-feira, com operadores digerindo notícias de que novos estímulos podem ser anunciados pelo Banco Central Europeu (BCE) na reunião de quinta-feira, enquanto a queda nos papéis da IBM limitaram os ganhos.

O índice Dow Jones subiu 0,22 por cento, a 17.554 pontos, enquanto o S&P 500 teve ganho de 0,47 por cento, a 2.032 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq subiu 0,27 por cento, a 4.667 pontos.

Participantes do mercado buscam medidas mais agressivas de bancos centrais, especialmente do Banco Central Europeu, para combater o risco de deflação e um enfraquecimento da economia da zona do euro.

Um fonte disse à Reuters que o Conselho Executivo do BCE propôs um programa que iria possibilitar o banco de comprar 50 bilhões de euros em títulos por mês, com início em março. O presidente do BCE, Mario Draghi, vai falar com a imprensa na quinta-feira.

"O rumor sobre o BCE foi muito importante. A percepção do mercado era de que Draghi iria decepcionar amanhã na magnitude do programa", disse o estrategista-chefe do Federated Investors, em Nova York, Phil Orlando.

As ações nos Estados Unidos se beneficiariam de um programa para apoiar a economia da zona do euro porque a Europa é um dos parceiros comerciais mais importantes dos EUA.

O S&P encerrou o dia 2,8 por cento abaixo do seu recorde de fechamento no final de dezembro.

As ações de energia do S&P 500 tiveram o melhor desempenho do dia, com alta de 1,8 por cento, acompanhando a alta de 2,8 por cento nos preços do petróleo futuro nos EUA. O índice do S&P 500 de exploração e produção de petróleo e gás subiu 2,8 por cento.

Apesar do avanço, os futuros do petróleo permanecem no rumo para sua décima quinta semana negativa em 17.

As ações da IBM caíram 3,1 por cento para 152,09 dólares depois que a empresa divulgou receitas abaixo da expectativa e deu uma meta de lucro em 2015 abaixo das estimativas. A ação teve uma das maiores quedas do S&P 500.