BC do Japão diz que inflação desacelerará mais por petróleo e demanda fraca

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015 09:00 BRST
 

TÓQUIO (Reuters) - A inflação ao consumidor no Japão vai desacelerar ainda mais devido à queda dos preços do petróleo, com a alta do imposto sobre vendas em abril sobre os gastos das famílias também pesando, afirmou nesta quinta-feira o banco central do país.

Precisando de inflação mais alta para sair de forma sustentável de anos de deflação e ajudar a recuperação após uma leve recessão, o banco central do Japão encontrou algum otimismo ao olhar para a frente.

O banco central revisou para cima sua avaliação da produção industrial e manteve o otimismo de que uma retomada do consumo privado irá manter a economia nos trilhos para uma recuperação moderada, para eventualmente ajudar a elevar os preços.

"A produção industrial saiu de sua pior fase em parte devido ao progresso feito nos ajustes de estoques", disse o Banco do Japão em relatório mensal para janeiro. Essa foi uma avaliação melhor do que a do mês passado, quando disse que a produção "parece estar saindo da pior fase".

A forte queda nos preços do petróleo aumentou a pressão sobre bancos centrais em todo o mundo a responder ao aumento dos riscos deflacionários com agressivos estímulos monetários.

O banco central japonês não ampliou o estímulo na quarta-feira mesmo tendo reduzido sua estimativa de inflação para 1,0 por cento para o ano que começa em abril, bem abaixo da meta de 2,0 por cento.

(Reportagem de Leika Kihara)