Investidores testam mínimas e dólar cai a R$2,56, após BCE anunciar estímulo

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015 13:48 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar ampliava a queda de nesta quinta-feira para mais de 1 por cento sobre o real, após o Banco Central Europeu (BCE) anunciar que comprará mensalmente 60 bilhões de euros em títulos, com potencial para ampliar a liquidez internacional e abrindo caminho para os investidores testarem patamares abaixo de 2,60 reais.

Às 12h29, a moeda norte-americana caía 1,45 por cento, a 2,5688 reais na venda, após atingir 2,5643 reais na mínima da sessão, logo após o anúncio. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro estava em torno de 400 milhões de dólares.

"É algo positivo (estímulo do BCE) para os mercados da América Latina, mas já estava precificado. Não foi muito diferente do que era esperado", disse o economista da 4Cast Pedro Tuesta.

O presidente do BCE, Mario Draghi, anunciou que a autoridade monetária planeja comprar 60 bilhões de euros por mês em títulos a partir de março e pelo menos até o fim de setembro de 2016.

Investidores já vinham se antecipando a essa decisão e reduzido as cotações do dólar nos últimos dias, uma vez que parte desses recursos tenderia a migrar para mercados emergentes, como o brasileiro, em busca de maiores ganhos financeiros.

Após o anúncio, o dólar passou a recuar em relação a moedas como os pesos chileno e mexicano e disparou contra o euro. No Brasil, o alívio era mais intenso já que investidores aproveitavam o bom humor para testar patamares mais baixos, movimento que já vinha desde a abertura.

"As condições favoráveis lá fora permitem que o mercado faça mais uma tentativa de furar de vez a barreira dos 2,60 reais", disse pela manhã o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

O apetite por ativos brasileiros já vinha elevado nas últimas semanas devido às medidas de maior rigor fiscal no país. Mas o dólar vinha enfrentando dificuldades para se firmar abaixo de 2,60 reais, patamar que têm atraído compradores, diante do quadro de inflação elevada e crescimento baixo no país.   Continuação...

 
14/11/2014. REUTERS/Gary Cameron