Presidente do banco central da Holanda declara oposição à compra de títulos por BCE

domingo, 25 de janeiro de 2015 11:12 BRST
 

AMSTERDÃ (Reuters) - O presidente do banco central da Holanda, Klaas Knot, afirmou ser contrário à decisão do Banco Central Europeu de iniciar um programa de compra de bônus governamentais com dinheiro novo para tentar fazer frente à deflação na zona do euro.

Em entrevista a um canal de televisão transmitida neste domingo, Knot disse que o principal impacto da medida pode ser uma redução no valor do euro contra outras moedas.

Explicando seu ceticismo sobre a política conhecida como "quantitative easing", ou "QE", Knot a descreveu como "último recurso" que ele gostaria que o BCE mantivesse em reserva.

"Haverá alguns efeitos dessa política de compras, mas se isso será suficiente para justificá-la, um remédio tão potente como esse, com consideráveis efeitos colaterais, o futuro dirá", disse Knot.

O presidente do BC holandês disse que não sabe o que o BCE fará se o QE fracassar em tentar fazer a inflação na zona do euro sair de patamar de perto de zero para a meta de pouco abaixo de 2 por cento.

"Isso é como a última ferramenta de nosso estojo", disse Knot. "Se continuarmos seguindo esse caminho de ligar a impressora de dinheiro, você poderá, claro, comprar tudo que a sociedade tem para vender... mas estaremos cada vez mais longe do papel principal de um banco central."

O BCE anunciou na quinta-feira que vai começar em março um programa mensal de compra de 60 bilhões de euros em ativos. A decisão sofreu oposição do chefe do banco central da Alemanha, Jens Weidmann, entre outros.