26 de Janeiro de 2015 / às 19:39 / em 3 anos

CCEE quer adiar de novo a liquidação de operações de distribuidoras de energia

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), Luiz Eduardo Barata, defendeu nesta segunda-feira adiar para o fim de fevereiro a liquidação financeira de parte dos gastos das distribuidoras no mercado de curto prazo de novembro.

Para realizar essas liquidações, é necessário o governo federal fechar um novo empréstimo com bancos para cobrir gastos de curto prazo remanescentes das distribuidoras do ano passado, orçados em cerca de 2,5 bilhões de reais.

A liquidação de parte dos gastos das distribuidoras referentes a novembro, de cerca de 1 bilhão de reais, já foi adiada do início de janeiro para a próxima sexta-feira. Na reunião da diretoria nesta terça-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deverá votar um novo adiamento.

“Eu disse à Aneel que considerava impossível concluir esse processo até o dia 30...Eu acredito que serão necessários de 20 a 30 dias, pelo menos, para ter uma definição”, disse.

Como em 9 de fevereiro já ocorreria liquidação de operações do mercado de curto prazo feitas em dezembro, provavelmente a quitação de gastos das distribuidoras também deve ser adiada. Assim, as duas liquidações devem ser feitas de uma vez, como já ocorreu no ano passado.

“Acredito que é isso que nós vamos ter, uma solução que para englobar as liquidações de novembro e dezembro”, disse Barata a jornalistas, após evento na sede da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica).

Barata disse que não participa de negociações para mudar as condições de pagamento dos empréstimos de 17,8 bilhões de reais fechados com bancos em 2014 para socorrer o setor elétrico.

Segundo ele, o governo indicou que gastos das distribuidoras no mercado de curto prazo em 2015 não serão cobertos por meio de empréstimos, mas com repasses aos consumidores por meio das Bandeiras Tarifárias e revisões extraordinárias de tarifas.

SANTO ANTÔNIO

Barata disse estar confiante de que a Santo Antônio Energia, responsável pela hidrelétrica, honrará com as obrigações no mercado de energia de curto prazo.

A empresa tem argumentado que enfrenta problemas de caixa e seus acionistas já autorizaram aportes de recursos emergenciais no passado para pagar dívidas no mercado de curto prazo.

“A informação dada por representantes de Santo Antônio é de que eles vão honrar o pagamento antes da data de liquidação, em 9 de fevereiro”, disse.

Por Anna Flávia Rochas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below