Brasil deve abrir mais shoppings em 2015, mas vendas devem desacelerar

terça-feira, 27 de janeiro de 2015 11:41 BRST
 

Por Marcela Ayres

SÃO PAULO (Reuters) - O setor de shopping centers no Brasil deve ver desaceleração de vendas em 2015, ano que será marcado pela abertura de mais empreendimentos em função do escoamento de projetos inicialmente previstos para 2014.

Após alta de 10,1 por cento nas vendas nesses centros de compras no ano passado, a 142,27 bilhões de reais, a expectativa para 2015 é de crescimento mais modesto, de 8,5 por cento, divulgou a Abrasce, associação que reúne os shoppings no país, nesta terça-feira.

Avaliando o desempenho esperado como "bastante razoável" diante do cenário econômico, o presidente da entidade, Glauco Humai, afirmou que 2015 será ano difícil, citando fatores como pressão inflacionária e juros mais altos, além de problemas estruturais em relação à disponibilidade de água e energia.

Para os novos shoppings, a projeção da Abrasce é de adição de 26 empreendimentos em 2015, contra 24 em 2014. Os números contrastam com previsão feita pela Abrasce no início do ano passado, de inauguração de mais de 40 novos empreendimentos em 2014 e apenas 15 neste ano.

Segundo Humai, a diferença entre a previsão de shoppings novos e os efetivamente abertos foi maior do que a média no ano passado, mas não chega a acender a luz vermelha.

"Mesmo adiados, eles vão acontecer", afirmou o presidente da Abrasce, justificando a decisão de postergação a fatores como demora na obtenção de licenciamento, questões econômicas e menor disponibilidade de recursos para o financiamento de projetos que nos últimos anos.

Em 2014, as empresas de shoppings colocaram o pé no freio em relação a novos projetos após a abertura de unidades com baixa taxa de ocupação.

  Continuação...